Tag Archives: estudo

08/09/21

Impactos da covid-19 em crianças com câncer

A covid-19 é um labirinto onde caminha a humanidade há quase dois anos. A ciência segue à frente, tentando encontrar saídas. As pesquisas científicas traçam rotas, que podem levar a menos dores e perdas. Um dos estudos inéditos revela os impactos da covid-19 em crianças com câncer e contou com a participação do Hospital Infantil Albert Sabin, da Secretaria da Saúde do Ceará.

20/08/21

29,33% de jovens não trabalham e nem estudam

A perspectiva está difícil para todas as camadas da população brasileira, até mesmo para os jovens. É o que indica a pesquisa Juventudes, Educação e Trabalho: Impactos da Pandemia nos Nem-Nem, do Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas. O Brasil atingiu em 2020 o recorde de 29,33% na taxa de jovens entre 15 e 29 anos que nem trabalham e nem estudam. No Ceará, a taxa chegou a 37,19% no segundo trimestre do ano passado. Em 2019, a média dos nem-nem no Estado era de 28,76%

15/03/21

O que dizem os estudos sobre a Ivermectina

A pandemia no Brasil completou 1 ano e a comunidade científica segue em busca de terapias eficácias contra a Covid-19. A Ivermectina, remédio utilizado no tratamento de vermes, piolhos e escabioses, tem sido citada no combate à Covid-19. Porém, o próprio fabricante do vermífugo afirmou que o remédio não tem eficácia comprovada no tratamento da doença. A repórter Márcia Vieira conversou com a professora Mirian Parente, do Grupo de Prevenção ao Uso Indevido de Medicamentos (GPUIM). Vamos ouvir:

15/09/20

Por que o ser humano fofoca?

Você já percebeu quanto tempo passa falando dos outros? Um estudo publicado pelo jornal acadêmico estadunidense Psicologia Social e Ciência da Personalidade mostrou que 52 minutos do nosso dia são usados para simplesmente falar dos outros, ou seja, fofocar. O estudo também aponta que a fofoca normalmente envolve o compartilhamento de informações sociais inofensivas. No sentido geral não há mal algum em fofocar, mas porque nós temos esse hábito? Desde os primórdios, a raça humana se mostrou uma espécie muito social, que, para obter vantagens adaptativas, precisou se unir em grupos, e a troca de informações que acontecia entre os participantes desse grupo garantiu a sobrevivência da espécie.