Tag Archives: Belchior

26/08/21

Filha de Belchior faz show em homenagem ao pai

Num momento em que Belchior é cada vez mais lembrado e reverenciado, a filha mais nova do menestrel falecido em 2017 se lança na carreira musical. Vannick Belchior, a filha caçula do artista e a única nordestina, fez um primeiro show em uma cervejaria de Fortaleza, no início deste mês. A apresentação Coisas que aprendi nos Discos é uma referência a uma das mais conhecidas canções do cearense: Como nossos pais. A direção musical é do multi-instrumentista Tarcísio Sardinha, que acompanhou o artista em suas apresentações.

24/06/21

Série 45 anos de Alucinação: Fortuna Crítica

O disco Alucinação, lançado em 1976, colocou Belchior no devido lugar: entre os imortais da MPB. As dez canções ganharam o aplauso da crítica e a voz do povo. Compostas pelo rapaz latino-americano vindo do interior do Ceará, as letras são mil e uma narrativas de sonhos e de realidades. E os sons passeiam pelo blues, pelo country, pelo baião e pelo rock, atravessando sentimentos e épocas. Na última matéria desta série, produzida pela Rádio Universitária FM, nos 45 anos do álbum, buscamos saber o que faz Alucinação um disco de todos nós e de todos os tempos.

23/06/21

Série 45 anos de Alucinação: O Tempo e suas Canções

Palavra e som são caminhos para ser livre, traça Belchior na música Não leve flores, do álbum Alucinação. Lançado no meio do caminho da ditadura militar brasileira, em 1976, o disco cruza os sentimentos de uma época marcada por censuras, torturas e desaparecimentos. Havia perigo na esquina, eles venceram e o sinal estava fechado para os jovens ideais. Ao vivo, era muito pior: espelhava Belchior nas canções daquele tempo. Escapando de violências e solidões, o cantor e compositor cearense seguia amando. Porque contra o ódio, amar é a pura resistência e delírio.

22/06/21

Série 45 anos de Alucinação: O Homem e suas Composições

Em 1976, Belchior lançava o álbum Alucinação. O segundo disco gravado em estúdio ressoa, pela boca da crítica e dos fãs, como a obra-prima do cantor e compositor cearense. As dez músicas de Alucinação são ouvidas como retratos do artista e da época. Naqueles anos 70, Belchior ia por praças e festivais do Rio de Janeiro e de São Paulo; e o Brasil atravessava uma década de ditadura militar. Para marcar os 45 anos de Alucinação, a Rádio Universitária FM vai ao encontro do homem e do tempo. Nesta série de matérias, ouvimos Belchior cantar e contar a si mesmo. E como esse retrato cantado reflete os sentimentos de um País e de gerações. A partir das músicas do disco e com licença poética, imaginamos uma entrevista com o artista que quis cantar como viveu.

18/06/21

Última turnê de Belchior vai virar disco inédito

Belchior vai voltar, em forma de canção. O fim do termo saudade, para os fãs do cantor e compositor cearense morto em 2017, é o projeto Belchior canta Cruz e Sousa. O projeto vai transformar em CD a última turnê de Belchior, realizada em 2005, por dez cidades de Santa Catarina. Para a turnê, Belchior e o amigo José Gomes Neto, professor de literatura na Universidade Federal de Santa Catarina, escolheram musicar oito poemas de Cruz e Sousa. O objetivo do projeto, agora, é o resgate inédito dessa última turnê.

02/06/21

Professora lança curso sobre disco Alucinação de Belchior

Em junho de 1976, quando o Brasil vivia a Ditadura Militar e era preciso suportar o dia a dia, Belchior lançava o álbum Alucinação. Para reencontrar a crônica poética daquele rapaz latino americano, vindo do interior do Ceará, a professora e jornalista Josy Teixeira organizou o curso Lendo e Ouvindo Alucinação. Josy Teixeira pesquisa a obra de Belchior desde 1999 e considera o álbum Alucinação uma obra-prima. Belchior declarou que o disco foi pensado como “o diário de uma geração”. Músicas como Fotografia 3X4 e Velha Roupa Colorida são o retrato do "quarto, da alma, do corpo, das perspectivas de cada um”, canta Belchior.

30/01/20

Artes e Artistas da Terra com Jorge Mello (1988)

No dia 23 de novembro de 1988, o cantor e compositor Jorge Mello participou do programa Artes e Artistas da Terra. Durante a conversa com a apresentadora Téti, Jorge Mello conta sobre a sua saída do município de Piripiri, no Piauí,para Fortaleza. Aqui, cursou a faculdade de Direito e iniciou sua participação em festivais e programas de televisão. Ele explica ainda como conheceu e se tornou grande parceiro de Belchior.

10/06/15

Belchior fala sobre a própria obra na Universitária FM
No programa Caminhos da Cultura, produzido e apresentado por Ricardo Guilherme, o cantor cearense Belchior faz uma análise e autocrítica da sua obra, comentando a história e o simbolismo das músicas que interpreta. Nesta entrevista, Belchior faz principalmente uma reflexão filosófica sobre o fazer arte e interpretá-la e a relação de suas músicas com a memória...