" />

19/01/18

Jeito cearense de fazer cinema

A personagem Luizianne, interpretada pela atriz Samya de Lavor, canta versões das músicas de Rita de Cássia em Inferninho, de Guto Parente e Pedro Diogenes (Foto: Divulgação)

O Ceará vai estar presente no 47º Festival Internacional de Cinema de Roterdã, que acontece entre os dias 24 de janeiro e 4 de fevereiro, na Holanda. Os longas Inferninho e Clube dos Canibais vão se somar a outras 19 produções brasileiras que serão exibidas no Festival, considerado a primeira grande janela de cinema do ano. Os diretores de Inferninho, Pedro Diogenes e Guto Parente – que também assume a direção de Clube dos Canibais, conversaram com a equipe da Rádio Universitária FM sobre o processo de produção dos dois filmes e sobre o cenário do audiovisual no nosso estado.

Inferninho é uma história de amor, de desejos que apontam para lugares diferentes”, garante Guto Parente ao se referir à história de Deusimar, dona de um bar que sonha em deixar tudo para trás e ir embora, e sua paixão por Jarbas, um marinheiro que acabara de chegar e sonha em fincar raízes. O amor que nasce entre os dois transforma por completo a rotina do bar e de seus funcionários.

Clube dos Canibais é a incursão do diretor Guto Parente no gênero de horror (Foto: Divulgação)

O longa é resultado de uma parceria que surgiu, em 2013, entre o grupo Bagaceira de Teatro e o coletivo Alumbramento Filmes. Com a ideia de unir a estética do cinema com o teatro, eles participaram da primeira edição do Laboratório de Audiovisual do Porto Iracema das Artes. De início, desenvolveriam uma série para a TV, mas o processo intenso acabou se transformando em um longa-metragem. “Foi 1 ano de preparação e seria para montarmos um roteiro para TV com quatro episódios, mas não tínhamos nenhum contato com TV. Daí, transformamos em um longa porque o roteiro permitia e os atores estavam à disposição. É uma união muito bonita e está tudo na telona”, lembra Pedro Diogenes.

Os primos Guto Parente e Pedro Diógenes no set do filme Inferninho (Foto:Divulgação)

Os primos Guto Parente e Pedro Diogenes no set do filme Inferninho (Foto: Divulgação)

Clube dos Canibais, que também vai ter sua estreia mundial no Festival Internacional de Roterdã, foca no gênero de horror para contar a história de um casal da elite brasileira que tem o hábito de comer seus empregados. De acordo com Guto Parente, o roteiro inicial não tinha tantos aspectos sociais e políticos, mas os elementos foram acrescentados ao roteiro diante da atual conjuntura política do Brasil. “A ideia do filme surgiu em 2013 e quando eu estava no quente (sic) do roteiro, em 2015, foi quando o golpe estava sendo anunciado. Depois veio o escândalo da carne com a JBS, então, eu não tinha como não absorver esses fatos ao meu roteiro”.

Os dois longas cearenses farão parte da Bright Future Key Program, seção do Festival dedicada a jovens talentos do audiovisual. Para os diretores, ter dois filmes cearenses em um festival como esse reforça a importância dos cursos de formação no estado, assim como a necessidade de mais políticas públicas para o cinema.

Confira a entrevista*:

*Esta entrevista foi concedida nos estúdios da Rádio Universitária FM no dia 16 de janeiro de 2018.

A seção Entrevista teve produção e apresentação de Carolina Areal; operação de áudio de José Raimundo Lustosa; coordenação de Caio Mota; e direção de Nonato Lima. 

Tags:, , , , , , ,

Deixe uma resposta

*