" />

01/10/19

Música renascentista portuguesa tem novos registros

Luís de Camões é um dos poetas que escreveram voltas ao mote no conjunto de cantigas e vilancetes gravados pelo grupo Capela Ultramarina (Foto: Domínio Público)

 

Na noite desta quarta-feira, dia 02 de outubro, o programa Música Erudita trará uma seleção de música cantada, tanto sacra quanto popular, produzida em Portugal a partir do século XVI. A primeira parte será dedicada às novas gravações lançadas pelo grupo brasileiro Capela Ultramarina, enquanto a segunda parte trará audições de obras de mestres da polifonia litúrgica, como Manuel de Cardoso, Filipe de Magalhães e Duarte Lobo.

Com quase vinte anos de envolvimento com os cancioneiros populares de origem portuguesa, a Capela Ultramarina realizou o trabalho de pesquisar e também interpretar um conjunto de cantigas e vilancetes que reuniu no recém-lançado álbum “A cantar uma cantiga”. São peças do Cancioneiro de Paris, “um dos quatro cancioneiros de origem portuguesa do século 16 que sobreviveram até os nossos dias”, explica Fábio Vianna Peres, diretor do projeto. Também responsável pela pesquisa e pelas edições, Peres atua como tenor e também toca viola de mão de cinco ordens em mi. Por se basear em antigos modos de tocar reconstituídos mediante investigação, esse tipo de performance é chamada de interpretação historicamente informada.

Uma das principais características de “A cantar uma cantiga” é sua ênfase na língua portuguesa, que além de ser um traço marcante de nossa cultura também é dotada de uma musicalidade única. Embora a maior parte da seleção de cantigas e vilancetes (forma poética que floresceu na Península Ibérica durante o período renascentista) tenha autoria desconhecida, algumas possuem contribuições de poetas reconhecidos, como Luís de Camões, Maria de Portugal, Cristóvão Falcão e Diogo Bernardes.

Na segunda parte, o programa apresentará obras sacras de grandes mestres da época de ouro da polifonia criada em Portugal. O antigo cantochão medieval, canto presente nos cultos religiosos cristãos que se baseava em uma só voz, acabou se desenvolvendo a partir do uso de diversas vozes que soavam juntas — é disso que se trata a polifonia. Esse repertório litúrgico lusitano, com canto em latim, vem aos poucos sendo mais difundido. Um dos destaques da programação é a “Missa secundi toni”, do Frei Manuel Cardoso, baseada no segundo dos oito “modos” do canto gregoriano.

O programa Música Erudita vai ao ar diariamente, das 22h à meia-noite, com produção e apresentação de Thaís Aragão; operação de áudio de José Raimundo Lustosa, Adalberto Inácio e Fernando Maia; e Germán Gras no apoio à produção.

Tags:, , , , , , , ,

Deixe uma resposta

*