" />

25/05/18

Nerds do mundo inteiro, uni-vos!

O Dia do Orgulho Nerd é celebrado no aniversário de estreia do primeiro filme da saga Star Wars, Episódio IV: Uma Nova Esperança (Foto: Reprodução/Internet)

Quem nunca assistiu um filme da Marvel, com Homem de Ferro e cia? Nunca ouviu falar das histórias fantásticas da Terra Média ou de Westeros? Não sabe que Darth Vader é o pai de Luke e Leia? Nas últimas décadas, a cultura nerd deixou de ser assunto de um grupo específico e passou a ganhar espaço entre o público geral, dominando vários produtos midiáticos como livros, séries de tv e filmes e promovendo discussões nas redes sociais.

No entanto, ser nerd e gostar desse universo nem sempre foi tão popular. Na verdade, os nerds eram aquele grupo excluído dos demais, principalmente na escola. O quadrinista Vitor Cafaggi, em entrevista à Rádio Universitária FM, relata como era gostar do universo nerd na época da escola. “Eu sou nerd desde uma época em que não tinha muito orgulho de ser nerd. Quando eu estava na escola, eu e meus amigos trocávamos revistinhas e era uma coisa muito escondida. Ninguém podia saber que a gente na quinta série ainda lia quadrinhos de super-herói”, conta.

Antes de ganhar o título de Dia do Orgulho Nerd, a data 25 de maio já era comemorada desde 2001 como Dia da Toalha, em homenagem ao escritor de ficção científica Douglas Adams, autor da série O Guia do Mochileiro das Galáxias. Na obra, Adams descreve a toalha como um objeto essencial a qualquer mochileiro espacial, podendo ser utilizada em diversas situações no espaço. A data marca, também, o dia em que Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança chegou aos cinemas, em 1977. Existe, ainda, quem comemore como o Glorioso 25 de maio, em alusão à obra de Terry Pratchett, Discworld. Assim, essas três celebrações se juntaram como um grande dia para festejar essa cultura.

O Guia do Mochileiro das Galáxias ganhou uma adaptação para os cinemas em 2005 (Foto: Divulgação/Internet)

O Guia do Mochileiro das Galáxias ganhou uma adaptação para os cinemas em 2005 (Foto: Reprodução/Internet)

A Popularização

Muitos foram os motivos que trouxeram a cultura nerd para o centro da cultura pop. Um dos principais foi a popularização dos filmes de super-heróis a partir dos anos 2000. Após alguns fiascos nos anos 1990, como Batman & Robin, os estúdios cinematográficos e o público andavam desacreditados com o gênero. Foi só no início dos anos 2000, com as adaptações de X-Men e Homem-Aranha, que esses filmes provaram que, com histórias bem contadas, poderiam ser um sucesso de críticia e, principalmente, de bilheteria.

De acordo com o Box Office Mojo, site responsável por reunir números de bilheteria de filmes no mundo todo, quatro das dez maiores bilheterias da história do cinema são filmes de super-heróis. Em abril deste ano, Vingadores: Guerra Infinita se tornou a maior estreia da história do cinema fazendo mais de 600 milhões de dólares ao redor do mundo em apenas um fim de semana, atestando o gênero como um sucesso incontestável.

Dmitri é criador da Vila do RPG, um grupo que se reune toda semana para jogar (Foto: Arquivo Pessoal)

Dmitri Gadelha é criador da Vila do RPG, um grupo que se reúne toda semana para jogar (Foto: Arquivo Pessoal)

Ainda que a cultura nerd tenha se popularizado em alguns aspectos, nem todos os seus elementos são explorados pelo grande público. Dmitri Gadelha é professor de História e pratica os Role-Playing Games, conhecidos como RPGs. Eles são jogos, geralmente de tabuleiro, em que os jogadores escolhem personagens e interpretam histórias criadas por eles mesmos. Para Dmitri, as pessoas ainda não entendem muito bem os RPGs por serem “um nicho dentro do nicho”. Ele acrescenta que o jogo desenvolve a criatividade e que o utiliza como método de ensino. “O RPG é uma maneira de construir histórias e viver aventuras imaginárias com os meus amigos. Eu aplico na sala de aula como forma de desenvolver a criatividade dos meus alunos e deixar as aulas mais dinâmicas”, explica.

Amor que virou negócio

Para Mariana Fernandes, designer fã de Star Trek e videogames, o crescimento de admiradores da cultura nerd representou uma oportunidade de negócio. Sentindo no mercado uma falta de artigos voltados para o público nerd, ela criou uma papelaria especializada nesses artigos. “Eu como consumidora senti a necessidade de fazer o meu porque os do mercado não se encaixavam no meu perfil. Você não encontra essas papelarias nerd que trabalham com esse público”, afirma.

Mariana também é criadora do site Modo Meu, que fala de diversos produtos da cultura pop, como séries, livros e filmes. Ela comemora o fato das mulheres estarem conquistando mais representatividade, mesmo que ainda exista preconceito. “Eu faço um vídeo pro YouTube e as pessoas comentam que eu não sei, ficam fazendo mil perguntas muito específicas para testar meus conhecimentos, mas é muito importante que as mulheres estão ganhando mais espaço nesse meio”.

O The Big Plan, criado por Mariana, é um planner voltado para o público nerd (Foto: Arquivo Pessoal)

O The Big Plan, criado por Mariana, é um planner voltado para o público nerd (Foto: Arquivo Pessoal)

Tanto Dmitri quanto Mariana ressaltam a importância do Dia do Orgulho Nerd. Para a designer, a data se torna especial no sentido de combater o preconceito. “Eu comemoro o Dia da Toalha. Nele, você desmistifica esse preconceito que a sociedade tem com essa galera mais velha, de 20, 30 anos, que curte coisa que as pessoas consideram ser de criança”, declara. Já para o professor, a data é simbólica por apresentar a cultura nerd para as pessoas. “Esse dia serve para mostrar pras pessoas que não fazem parte desse mundo o quanto ele é profundo e divertido”, e ainda acrescenta: “Essa cultura, que já não é mais dos esquisitos, é popular, veio para ficar. Não adianta lutar contra essa maré, ela vai ficar”, afirma Dmitri confiante.

Tags:, , , , , , , ,

Deixe uma resposta

*