" />

11/07/18

A Dublagem no Brasil

A cada 10 brasileiros, 6 preferem assistir a filmes dublados (Foto: Divulgação/Internet)

Ao ouvir essas vozes marcantes, conseguimos rapidamente identificar os personagens que estão falando. Buzz Lightyear, do filme Toy Story, Chiquinha, da série de TV Chaves e Scooby Doo, do desenho animado de mesmo nome. Além dos personagens, a voz por trás deles também fica no imaginário dos espectadores.

A dublagem brasileira é destaque no mundo inteiro por causa do empenho e qualidade técnica dos atores. De acordo com uma pesquisa divulgada pela Folha de São Paulo, 6 a cada 10 brasileiros preferem assistir a filmes dublados.

Esta preferência não está só no cinema. A Netflix Brasil divulgou recentemente que 80 a 90 por cento do público das séries mais populares veem os programas com dublagem em português. Essa popularidade com o público coloca em evidência a profissão de dublador. Para trabalhar neste ramo, é preciso primeiro possuir um registro Profissional de Ator.

Simone Evans é uma dubladora cearense que mora em São Paulo. Ela fala um pouco sobre como é a rotina de quem trabalha com dublagem:

"O dublador não tem uma rotina comum como todo mundo que acorda, vai às 7h pra empresa tal e sai às 18h. Ele até levanta às 7h e volta pra casa umas 22h, mas ele passa por vários estúdios diferentes e tem o fato de que ele nunca sabe o que vai fazer, a não ser que ele tenha um personagem fixo em uma série, aí ele sabe que vai fazer aquele personagem. Mas ele não sabe o que vai dizer e nem pelo que esses personagens vão passar."

No Brasil, os estúdios de dublagem estão concentrados no Rio de Janeiro e em São Paulo. Marcílio Mendonça é dono do Proaudio Studio, aqui em Fortaleza. Ele fala sobre o mercado local:

"O mercado de dublagem ainda é muito insipiente aqui em Fortaleza. Às vezes acontece de ter uma dublagem ou outra para corrigir algum problema que tenha havido na captação do áudio direto. As pessoas aqui gravam mais som direto, não se preocupam muito em dublar o cinema, por exemplo."

A história da dublagem no Brasil começou Em 1938. Chegava no país o filme Branca de Neve e os Sete anões, da Disney. Até então, todos os filmes eram legendados. Os cantores Dalva de Oliveira e Carlos Galhardo foram convidados para dar vozes em português aos personagens, no que se tornou a primeira dublagem do país.

Fundado por Marcílio há mais de 25 anos, o Proaudio Studio realiza trabalhos de dublagem em Fortaleza. (Foto: Arquivo Pessoal)

Fundado por Marcílio há mais de 25 anos, o Proaudio Studio realiza trabalhos de dublagem em Fortaleza. (Foto: Arquivo Pessoal)

Já nos anos 60, com a chegada da televisão, o presidente Jânio Quadros determinou que filmes e séries estrangeiras exibidos na telinha fossem dublados, pois a baixa qualidade da imagem tornava quase impossível a leitura das legendas.

Simone Evans fala sobre os desafios de se fazer uma dublagem:

"O dublador não tem o artifício que o cara do filme tem. O ator do filme em live-action, por exemplo, tem a expressão facial dele, tem o corpo dele, tem tudo isso. A gente também tá vendo isso, mas ele usou aquilo na hora e a voz dele saiu daquele jeito, e a gente, no estúdio, tem que conseguir reproduzir essa sensação e passar com a nossa voz. Como se fosse a nossa cara e o nosso corpo."

O processo de dublagem é muito minucioso, principalmente porque as falas dubladas precisam se encaixar no mesmo tempo das falas originais. Marcílio mendonça explica que, em seu estúdio,três pessoas diferentes acompanham o processo para garantir essa sincronia da dublagem:

"A gente coloca um monitor de vídeo na sala de dublagem, uma outra tela com o diretor, que vai ver rapidamente a cena do filme ou do vídeo, e a outra tela é a tela técnica, do técnico que está gravando. Trabalhamos com três telas, existe essa exigência."

As sessões dubladas ocuparam 60% das 3.220 salas de cinema do Brasil em 2017. Nas redes sociais, são comuns discussões entre pessoas que preferem os filmes legendados aos dublados e vice-versa.

A dubladora Simone Evans fala sobre o papel de inclusão social que a dublagem tem:

"A gente tem contato com o inglês mas a gente não tem fluência. Temos uma grande parte da população que vai assistir esse filme no original sem problemas, às vezes até sem legenda, mas a maior parte não. É muito importante introduzir o material dublado não só porque aumenta o trabalho dos dubladores, mas por uma função social mesmo. Todo mundo pode ter acesso aquele filme ou programa de TV, sem precisar se ater a uma legenda."

Com o desenvolvimento da tecnologia, o mercado da dublagem no Brasil cresceu e possibilitou que ela chegasse a outros setores, como os videogames.

Reportagem de Fabrício Girão com orientação de Natália Maia

Tags:, , , ,

Deixe uma resposta

*